terça-feira, 19 de junho de 2012

Do poeta

O poeta é um sujeito
estranho que sofre
secretamente agradecendo à [má?]
sorte que o leva a escrever algo
maior que as pequenices vividas

E ao concluir a árdua tarefa
de lapidar dores em versos
talhados para que pareçam piores
ou melhores, mas sempre distantes
da realidade ele expressa:

"Eis um novo poema
e isso é tudo
o que mais (?)
me importa (?)
nesse mundo de merda"

Se o poeta mente (?)
sempre e mais
para si mesmo
não o faz por maldade
talvez por indiferença

Ou talvez ele apenas
não saiba como
suportar verdades
tão fatais e alheias
aos sonhos

Pois por pior que sejam
os poetas e os sonhos
são ambos feitos
da mesma matéria
saibam eles ou queiram ou não.

Ju Blasina

Um comentário:

Mirian Melo disse...

Belo poema nas curvas de Bukowski!